Notícias

Sindicatos de trabalhadores de comunicação se unem em fiscalização no carnaval



Os sindicatos dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (Sinjorba)

Os sindicatos dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (Sinjorba)



Os sindicatos dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (Sinjorba), dos Trabalhadores em Rádio, Tv e Publicidade da Bahia (Sinterp/BA) e a Associação dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos da Bahia (Arfoc-Bahia) se unem no Carnaval 2013 em Salvador, para realizar uma ação de fiscalização da atividade profissional no sábado, domingo e segunda-feira da folia. Uma comissão formada por representantes das três entidades vai verificar se os profissionais estão devidamente cadastrados, principalmente nas empresas oriundas de outros estados, ou mesmo, internacionais.

Na avaliação da coordenação do Sinterp, muitas credenciais são fornecidas sem a exigência do registro profissional, num desrespeito à legislação que resulta na desvalorização dos trabalhadores que possuem formação adequada. Em muitos casos, o profissional apesar de receber diárias pelo trabalho extra, é obrigado a trabalhar em condições insalubre, degradantes, sem carga horária regular e sem controle do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE/SRTE). Atualmente o MTE já dedica muitos fiscais para evitar trabalho degradante de cordeiros e ambulantes, porém essa proteção não foi estendida aos profissionais que desempenham suas funções nas atividades comunicacionais.

A comissão intersindical vai atuar das 14 às 20 horas nos principais circuitos carnavalescos (Campo Grande, Barra-Ondina e Pelourinho) solicitando acesso aos praticáveis e camarotes para verificar e registrar as ocorrências verificadas, sem interferir na dinâmica de trabalho destes locais. O MTE/SRTE já foi acionado para apoiar a fiscalização feita pelos sindicatos e também foi acionado os órgãos de Comunicação do governo do estado e prefeitura exigindo que só concebam credenciais para trabalhadores regularizados.

Segundo Everaldo Monteiro, coordenador do Sinterp/BA, "este tipo de atitutude desqualifica o profissional local numa festa financiada, em grande medida, pelo dinheiro público estadual". A presidente do Sinjorba, Marjorie Moura, informa que, ao final do trabalho será elaborado um relatório dos fatos verificados e solicitada reunião com representantes do Ministério Público do Trabalho e Superintendência Regional do Trabalho e Emprego - Bahia (SRTE-BA) para que seja firmado um Termo de Ajustamento de Conduta válido para eventos nso quais a cobertura da imprensa é indispensável, mas que ocorre sem qualquer forma de controle das condições de trabalho. Para Luiz Hermano Abbenhusen, a verdadeira invasão de fotográfos de outros estados e países, em sempre profissionais, alija os repórteres fotográficos locais de melhroes ganhos que podem ser obtidos neste período.

Informações coletadas pela coordenação dão conta que o departamento técnico do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (Irdeb) trabalhará mais de oito horas por dia, além do tempo regulamentado pela profissão. Já as redes Bandeirante e SBT - emissoras oficial do carnaval - não vão oportunizar aos jornalistas e radialistas locais a oportunidade de receber valores completamentares preferindo trazer trabalhadores de outras praças, sem, entretanto, como determinar a legislação, registrar na SRTE-BA os contratos temporários destes profissionais.



Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Estado da Bahia
End.: Rua Gregório de Matos (antiga Maciel de Baixo), Nº 25 - Bahia. CEP: 40.026.240
Tel.: 71 3321-1914 | Email: sinjorba@sinjorba.org.br
© Copyright 2005-2012. Todos os Direitos Reservados