Sinjorba cobra do Itamaraty ajuda aos brasileiros que não conseguem sair de Portugal

Nesta quarta (18) o Sinjorba enviou uma carta ao Itamaraty solicitando intervenção do Ministério junto ao governo português e às companhias aéreas TAP e AIR EUROPA, para garantir o retorno de cerca de 350 brasileiros que estão parados em Lisboa sem conseguir retornar ao Brasil. A entidade também procurou a assessoria de Imprensa do órgão para reforçar o pedido.
A iniciativa da entidade se deu após tomar conhecimento que uma jornalista baiana (e seu marido) está em grupo de cerca de 350 brasileiros que são vítimas de cancelamentos de voos por parte das duas empresas (uma portuguesa e uma espanhola) e não estão tendo assistência da Embaixada do Brasil em Portugal. Apesar de procuradas, TAP e AIR EUROPA não estão assistindo os passageiros dos voos cancelados. O Sinjorba pediu a deputados baianos que interviessem nessa questão através da Comissão de Relações Exteriores da Câmara.
“O relato da colega jornalista é que mesmo falando com o embaixador brasileiro e até com o Ministério, não foi ainda tomada uma providência efetiva”, diz o presidente do Sinjorba, Moacy Neves. Segundo ele, quem conseguiu remarcar o voo está esperando com apreensão, mas há pessoas que até agora não tiveram a viagem remarcada e estão temerosas porque Portugal acaba de decretar estado de emergência. “Eles temem que os voos Portugal-Brasil sejam suspensos por tempo indeterminado”, completa.
Em resposta à mensagem do Sinjorba o Itamaraty disse que está tomando todas as providências e que a Embaixada e o Consulado em Lisboa estão em contato com o governo português e as companhias aéreas. O Sinjorba, entretanto, contesta. “Ora, se o próprio embaixador em Portugal disse a quem o procurou que nada podia fazer, então não há assistência do governo e estes brasileiros estão entregues à própria sorte e iniciativa”, denuncia Moacy Neves.
Na opinião da entidade, o governo não está dando a devida atenção a esta questão. Segundo Moacy, a jornalista com quem falou já investiu R$ 17 mil em novas passagens aéreas, sem a certeza de que irão viajar mas nem todos podem dispor de dinheiro para continuar pagando hotel e comprar um novo bilhete.
O Sindicato dos Jornalistas da Bahia sugere que o Itamaraty contrate voos charters para trazer todos os brasileiros que estão no exterior sem conseguir retornar ao país, ou então use os aviões da FAB para repatriá-los. “É hora de o governo federal esquecer o discurso ideológico e passar a governar, ser ágil e cumprir seu papel de liderar uma grande ação para preservar o Brasil e seu povo dessa doença. E isso inclui trazer de volta quem está lá fora, desassistido”, finaliza o presidente do Sinjorba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *