Câmara de Salvador debate violência contra profissionais de imprensa

Com a ascensão das ideias fascistas no Brasil após a eleição de Jair Bolsonaro, em 2018, verificou-se uma escalada de agressões a profissionais de imprensa em todo o país. Para avaliar a gravidade da situação na Bahia, especialmente em Salvador, a Câmara Municipal, por iniciativa da vereadora Marta Rodrigues (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e em Defesa da Democracia Makota Valdina, promove na próxima segunda (19), às 10h, audiência pública com o tema: “Democracia e Acesso à Informação em perigo”. O evento poderá ser acompanhado ao vivo pela TV Câmara (Canal 12.3) e pelas redes sociais (www.facebook.com/tveradiocam).


Participarão da mesa os presidentes do Sindicato dos Jornalistas do Estado da Bahia (Sinjorba), Moacy Neves; da Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj), Maria Jose; e da Associação Bahiana de Imprensa (ABI-Bahia), Ernesto Marques. Quem estará presente também é a deputada federal Lídice da Mata (PSB), relatora da CPI da Fake News, além do jornalista Fabio Costa Pinto.


Ofício-perigo
O objetivo do debate é identificar e apontar formas de combate à crescente violência contra profissionais de imprensa no Estado, além de analisar os casos de censura à imprensa e à liberdade de expressão, que têm vitimado jornalistas, radialistas e demais profissionais da área. As ocorrências vão de ameaças a agressões físicas e até mesmo assassinatos.


“O jornalismo sempre foi um ofício-perigo, por vários motivos, mas nos últimos anos aumentaram os ataques à profissão no Brasil, em especial após a intoxicação do ambiente democrático, por conta do golpe de 2016 e pela ascensão das ideias fascistas trazidas com a eleição de Jair Bolsonaro, em 2018”, denuncia o presidente do Sinjorba, Moacy Neves. Para ele, é necessário defender os profissionais de imprensa da violência do presidente e de seus seguidores para garantirmos informação de qualidade e independente no país.


Segundo a vereadora Marta Rodrigues, a discussão ocorre no momento fundamental, quando todos os setores, sindicatos, entidades da sociedade civil estão reunidos em forte oposição ao fascismo. “Estamos vivendo no governo Bolsonaro constantes ataques, para todos os lados da democracia, inclusive na liberdade de expressão, com agressões verbais e físicas, que levam à morte. Profissionais que sempre combateram a censura e são atacados em todos as circunstâncias, tendo ainda um inimigo poderoso que são as fake News. Defender os profissionais da imprensa é defender o direito a democracia, a cidadania e a verdade”, diz Marta.


Foram convidados para o debate outros jornalistas baianos, o coletivo Jornalistas Livres, além de representantes da Ordem dos Advogados da Bahia (OAB), Ministério Público (MPE-BA), Defensoria Pública do Estado (DPE), Clínica de Direitos Humanos da UFBa, Secretaria de Comunicação da Bahia (Secom-BA) e Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *