Sinjorba envia 515 nomes de profissionais de imprensa à PMS para vacinação

Com idades que variam entre 20 e 37 anos, mais de 500 profissionais de imprensa precisam ser vacinados contra Covid-19, em Salvador. Nesse sentido, o Sinjorba enviou, nesta terça (20), à Prefeitura de Salvador, uma listagem com 515 nomes que integram um cadastro feito pela entidade. Essa imunização já deveria ter ocorrido, como já aconteceu em muitas cidades brasileiras, inclusive várias na Bahia, a exemplo de Lauro de Freitas, Itabuna, Ilhéus, Feira de Santana, Vitória da Conquista, Serrinha e Senhor do Bonfim.

 “Agora é com a Prefeitura”, declarou o presidente do Sinjorba, Moacy Neves. Lembrando as decisões do Tribunal de Justiça e da Supremo Tribunal Federal (STF), que confirmaram a autonomia de estados e municípios para as gestões locais da pandemia, o sindicalista afirma que só não vacinam os jornalistas as prefeituras que não quiserem. “No Brasil inteiro e na Bahia os profissionais de imprensa vêm sendo imunizados sem limitação de idade e peço ao prefeito Bruno Reis e ao secretário Leo Prates sensibilidade, para que Salvador não fique no final da fila”, reivindicou.

Moacy Neves se refere às decisões do TJ-BA, de 27 de maio e do STF, de 1º de julho, negando pedidos do Ministério Público Estadual (MPE) para suspender a decisão da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), tomada em 18/05/2021, que incluiu os jornalistas e radialistas no rol das categorias a serem imunizadas prioritariamente.

Defeito de fabricação

Segundo Moacy, a CIB corrigiu um “defeito de fabricação” do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação (PNO), que desrespeitou o decreto 10.288, de 22 de março de 2020, que tornou a imprensa serviço essencial durante a pandemia do novo Coronavírus. “Algumas prefeituras compreenderam a decisão da CIB de, à luz de um problema epidemiológico observado entre os profissionais de imprensa, imunizar o segmento para cessar as mortes e o adoecimentos em série, mas, infelizmente, as autoridades de Salvador ainda não conseguiram enxergar este problema”, lamenta o presidente do Sinjorba.

Levantamento feito pelo Sinjorba mostra que desde o início da pandemia já morreram 31 profissionais de imprensa na Bahia, vítimas da Covid-19, além disso, os mesmos registros apontam 454 casos da doença. Segundo a entidade, o nível de adoecimento da categoria é o dobro do observado na população em geral.

Além dos 515 nomes enviados à Prefeitura de Salvador, nesta terça (20), outros 351 nomes de colegas com idades entre 18 e 39 anos, do interior, estão sendo enviados aos gestores dos respectivos municípios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *